Home / Memória do Samba / Samba, suor e lágrimas; as disputas de samba no Carnaval de São Paulo

Samba, suor e lágrimas; as disputas de samba no Carnaval de São Paulo

O momento mais lindo do carnaval é quando nossa escola do coração passa pela avenida, emitindo alegria, transbordando raça e demonstrando muita união. Ela fica mais encantadora e espontânea quando se vem embalada de um bom samba-enredo; uma obra que ecoa com vigor por todos os cantos da passarela do samba. O corpo arrepia, as lágrimas rolam, o coração….pulsa no compasso da bateria.

IMG_4819

Mas, para apreciarmos esse lindo ecoar de poesia, nossa agremiação precisa desenvolver um excelente trabalho junto aos imortais compositores, garantindo a eles todos os recursos e diretrizes fundamentais para fazer de sua inspiração um verdadeiro caminho para o sucesso.

E eles, os poetas, dos mais tradicionais aos novatos apostadores, buscam novas inspirações, parceiros e laços que os conduzem ao estrelato no palco de uma agremiação.

No Carnaval de São Paulo, muitas escolas, de ambas as entidades (LIGA e UESP), realizam a tradicional eliminatória de samba-enredo e convidam esses compositores para traduzir em versos todas as linhas repassadas pela sinopse do carnavalesco. Uma tarefa fácil para alguns, mas um pouco difícil para outros.

O site ACSP esteve este ano (2015) em diversas eliminatórias de samba-enredo e conversou com alguns compositores para saber os ‘altos e baixos’ das disputas. Apurou junto aos poetas todas as alegrias e dificuldades que os acompanham ano após ano.

Nossa equipe ficou impressionada com o abismo que existe entre uma eliminatória do Grupo Especial (Liga) e outra do Grupo 2 (UESP). Acompanhamos dois casos, um com a Mocidade Alegre e outro com a Império Lapeano.

Na Mocidade conversamos com China da Morada, que compõe há 12 anos e já conquistou três eliminatórias na agremiação (2006, 2009 e 2014). Ele nos concedeu um depoimento e esclareceu alguns dados sobre o processo de escolha de uma canção.

“Hoje muitas escolas estão perdendo a alma da disputa de samba-enredo, estão escolhendo os seus hinos através do CD. Para o compositor é vantagem, pois o custo é bem menor. Para uma gravação top (intérprete de ponta, bateria ao vivo, estúdio de ponta etc) gira em torno de uns R$ 2.800,00 isso dividido entre os parceiros, mas com uns R$ 500,00 você faz uma boa gravação”, afirma China.

IMG_9819

 


Ele também revela que no caso das eliminatórias, aquelas com vários sambas concorrentes, o investimento pode ultrapassar os 40 mil reais. “Hoje normalmente o compositor foge dessas escolas que ainda tem eliminatória, preferem concorrer nas escolas que o processo se dá apenas com a entrega de CD, até porque o prêmio é o mesmo, em torno de R$ 45.000,00 (dividido na parceria)”.

China foi integrante de uma parceria que concorreu na Mocidade Alegre para 2016, ano em que a agremiação levará para a avenida o enredo: “Ayo – A alma ancestral do samba”.

Veja a apresentação da equipe de China da Morada, na Mocidade Alegre:

Já as escolas da UESP, os números não são tão altos assim, mas o trabalho é quase o mesmo. Conversamos com Guilherme Abud, integrante de uma parceria que concorreu na Império Lapeano, agremiação que está no Grupo 2 da UESP e em 2016 virá com o enredo: “Um sorriso! Um abraço! Um aperto de mão! Amizade, combustível para a felicidade…”

11997015_917592691644550_1473293555_n


Guilherme, que desde 2004 compõe samba, nos revelou que o padrão de realização de uma eliminatória de samba-enredo nas escolas pertinentes ao grupos inferiores é bem diferente.

O investimento é baixo, o pouco que é gasto para custear camisetas, letra do samba e CDs não passa de R$ 500 e muitas vezes é rateado entre os membros, ou pago por possíveis patrocinadores. O prêmio da obra campeã não passa dos R$ 1.500.

“Nossa prioridade é o samba-enredo. Claro que por assumir essas condições não teremos grandes nomes na disputa, mas teremos gente com muita vontade e gana para defender o samba da melhor maneira. Na nossa parceria combinamos algo de princípio: Vamos disputar com alegria”.

Veja a apresentação da parceria de Guilherme Abud e Danilo Daidone, na Império Lapeano.

O compositor ainda nos fala sobre suas impressões a respeito da atual situação das competições. “As eliminatórias viraram negócios, os competidores investem altamente em fogos, efeitos pirotécnicos e diversos recursos visuais”. O artista também reflete sobre a letra das obras: “Enredo patrocinado configura o formato do samba, falta pesquisa e ousadia”.

Mesmo com esses altos e baixos nas disputas de samba, nossa equipe concluiu que o ânimo dos compositores vem das pessoas envolvidas nas competições e das tradições relacionadas a história do carnaval e também do samba-enredo.

Sobre Felipe Cruz

mm
Jornalista responsável e editor chefe do site Amantes do Carnaval de São Paulo. (MTB 63803).

Veja também!

Bateria mirim: o futuro garantido de uma escola de samba

Conheça os pequenos que são feras no ritmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *